segunda-feira, 21 de novembro de 2011

DESATENÇÃO

O assunto desatenção tem chamado muito a atenção de educadores ultimamente. Muitas crianças se apresentam "desatentas" durante as aulas, e os professores têm dúvidas se pode haver ou não um transtorno de desatenção.
Muitos fatores influenciam para que uma criança fique (e não seja) desatenta: não se alimentar diariamente pela manhã antes da escola, tomando o café da manhã adequadamente; não possuir quantidade de horas de sono necessária, por dormir tarde todos os dias da semana; possuir uma agenda com excesso de atividades na semana (informática, natação, aulas de idiomas).
Hoje já é de conhecimento de todos, que o brincar faz parte da infância, e todas as crianças precisam e devem possuir em sua rotina, horários para desestressar e aprender brincando. Isso facilita não somente para a socialização da criança, mas como também, as brincadeiras desenvolvem as habilidades motoras e cognitivas, quando são desafiadas a terem soluções para situações de raciocínio lógico.
Uma mente sobrecarregada de informações, também causa um estress por receber uma enorme quantidade de informações e não ter tempo para a adaptação e planificação das mesmas. O amadurecimento e aprendizagem acontece, quando a criança absorve completamente o que aprendeu, através da vivência com o mundo. Horas em frente a computadores com jogos, podem prejudicar o processo atencional, ao contrário do que muitos pensam, por sobrecarregar as funções cognitivas.
O diagnóstico de um transtorno de desatenção, pode levar anos para se dar, porém é importante destacar que a criança pequena com 3,4, ou 5 anos já começa a apresentar alguns sinais importantes, que podem ser facilmente observados por pais e professores. Geralmente, crianças que não conseguem permanecer muito tempo em brincadeiras (um a dois minutos), se desinteressando facilmente por brinquedos que fazem parte da sua idade, nem "explorando" de forma adequada esses brinquedos, podem indicar que algo está errado com ela.
Outro fator importante é a interação ou vínculo com outra pessoa. Algumas crianças desatentas, têm dificuldades para contactar no olho quando alguém está falando, ou quando ela mesma está falando, também possuem um certo "olhar vago" pelo espaço físico, ao realizar uma determinada atividade. Podem possuir alguns tiques motores devido a ansiedade intensa (como enrolar os cabelos, roer as unhas, cutucar-se constantemente).
Mais importante do que diagnosticar, é saber entender e trabalhar com o fator desatenção. Procure verificar em quais situações a criança se comporta de forma desatenta. Quais são as atividades que a agrada, qual horário do dia está mais agitada ou cansada, em quais circunstâncias fica irritada.




2 comentários:

  1. Luciana, frequento seu blog, sempre a procura de novas postagens, obrigada por suas contribuições.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da matéria. Vou observar no meu filho de seis anos como posso ajudá-lo com a desatenção.

    ResponderExcluir